Um assunto que pode causar muitas dúvidas na hora de comprar ou alugar um imóvel é sobre a área que se está comprando, pois juridicamente pode estar certo mas o entendimento pode estar errado.

Existem diversas nomenclaturas, que podem ter variações de acordo com a região ou estado do Brasil. Saber estas áreas são importantes dependendo da finalidade que se deseja, como veremos a seguir.

Para as áreas que servem para diferentes finalidades, como a área privativa, área total, área de vassoura e área de carpete.

É necessário entender cada uma delas para que você não seja enganado ao adquirir um imóvel e tenha as medidas certas na hora de solicitar orçamentos, para a colocação de pisos, por exemplo.

Para ajudar com essa questão, reunimos tudo que você precisa saber sobre áreas, mas antes de aprofundar é importante lembrar que estas áreas que falaremos se dão no plano horizontal, ou seja, um quadrado no chão de 2m de lado, tem 4m² de área.

Entendido este conceito matemático, vamos ao que interessa…

Quais são as áreas do imóvel e o que cada uma significa?

A metragem do imóvel é dividida entre algumas zonas, sendo elas:

Área privativa

A área privativa é tudo aquilo que você compra, que só você pode usar, inclusive a área que está embaixo da parede. Paredes estas, se de divisa com o vizinho são computadas até a metade, já as paredes entre dois quartos do mesmo apartamento, por exemplo, é integralmente área privativa. E se faz divisa com uma área de circulação, a  metade desta parede é do condomínio. Complicado?

Em outra ótica, área privativa, é tudo que está na escritura do imóvel.

Em apartamentos, além da área privativa do apartamento, em alguns empreendimentos pode ser considerado também área privativa o espaço do estacionamento e depósito particular, por exemplo, desde que seja de uso exclusivo seu e esteja devidamente descrito na escritura.

Mas é importante que se diga que nem toda vaga de estacionamento é privativa, muitas vezes ela é de uso comum, ou seja, não tem um dono e sim é considerada área condominial, as chamadas vagas rotativas. Podem ou não ter uma para cada unidade de apartamento, dependendo do empreendimento.

Área comum

A área comum, como o próprio nome indica, trata-se dos locais de uso comum de um condomínio. São os espaços que podem ser utilizados por qualquer morador e até mesmo visitantes.

O que pode ser considerado área comum:

Área total

A área total é composta da soma da área privativa, ou seja, das partes que pertencem exclusivamente a você, acrescida de uma fração ideal da área comum.

Essa fração ideal, resumidamente, você pode alcançar somando todas as zonas comuns e dividindo pelo número de inquilinos do condomínio.

Na prática, esse cálculo é muito mais complexo, mas essa é uma forma simples de explicar a base utilizada para chegar à área total.

É muito importante ficar atento nesse ponto quando for buscar um imóvel, pois muitas vezes é informado apenas a área total, dando a impressão de um espaço muito maior, quando na realidade você deve considerar a área privativa para identificar se aquele ambiente atende às suas necessidades.

Área útil

A área útil, conhecida também como área de vassoura, é a parte interna do seu apartamento. Nesse caso, não é considerado o espaço da vaga de garagem, depósitos externos ou qualquer outro local que você tenha fora da residência.

Também não são consideradas as paredes, apenas o chão. É literalmente tudo que você pode varrer no seu apartamento. Por isso é chamada área de vassoura.

Essa é a que você deve informar ao solicitar um orçamento de pisos, por exemplo, pois é com base nesse cálculo que o profissional fará o levantamento do material necessário e da mão de obra.

Área de carpete

Na área de carpete, é considerado todo o espaço útil subtraído das áreas molhadas, ou seja, você desconta a cozinha, o banheiro e a lavanderia.

Agora que você sabe as diferenças entre as áreas e o que é considerado na hora dos cálculos, confira também o que é alvenaria estrutural e quais suas vantagens!