Apesar de ser uma tendência cada vez mais constante, principalmente em grandes cidades, que estão passando pela “verticalização” há anos, algumas pessoas ainda têm dúvidas sobre morar em condomínio.

Afinal de contas, a vida em condomínio é bem diferente da realidade de uma residência individual, onde a principal mudança é viver em comunidade e dividir espaços de uso comum com outros condôminos, com a tranquilidade de ter um síndico para representar a todos e gerenciar as manutenções dessas áreas.

Por isso, antes de escolher o seu imóvel, pense nos prós e contras para você e sua família.

No post de hoje iremos trazer informações importantes para você ler antes de decidir morar em condomínio. Confira se vale a pena e o que deve ser considerado!

O que devo saber antes de ir morar em condomínio?

O aumento do número de prédios e condomínios em diversos lugares do Brasil não é à toa, principalmente por causa das facilidades

Muitas pessoas optam por viver nesses ambientes, que apresentam diferenciais como economia, segurança, maiores opções de lazer. Inclusive, só em 2018, a procura por apartamentos aumentou 80%.

Porém, apesar de ter muitos diferenciais, é uma realidade diferente para quem até então está acostumado a morar em casa, já que a maior diferença é morar com outras pessoas e dividir áreas de uso comum.

No entanto, embora seja uma maneira diferente de viver, pode ser muito mais interessante do que viver em uma casa privativa, pois os condomínios são incomparáveis nos quesitos de segurança, proteção e controle de entrada e saída.

Além disso, é possível construir laços de amizade, usufruir das diversas áreas de lazer e ter um ambiente seguro para crianças crescerem, com espaço para brincar e se desenvolverem como cidadãos. 

No entanto, fatores como privacidade e liberdade para fazer barulho são diminuídas, já que você estará morando entre outras pessoas e terá que respeitar as regras do condomínio.

Vale a pena morar em condomínio?

Essa é uma das maiores dúvidas para quem está pensando em morar em condomínio. Será que essa mudança de realidade realmente vale a pena?

De fato, qualquer tipo de moradia possui seus prós e contras. Viver em casa, por exemplo, tem a possibilidade de fazer barulho a qualquer hora, maior privacidade e, em alguns casos, o espaço é maior em comparação ao apartamento.

No entanto, tem menos segurança e opções de lazer, já que em um condomínio existe porteiro, câmeras de segurança, controle de entrada e saída, e outras opções de lazer, como salão de festas, quiosques,, playground, dentre outros.

Mas, como dissemos acima, os condomínios também possuem seus contras, que é a diminuição da privacidade e a necessidade de seguir normas de convivência.

Para a maioria das pessoas que vivem nesse tipo de moradia, as qualidades são muitas, já que os ambientes de lazer, a qualidade de vida, a segurança e o fato de poder ratear as despesas de manutenção com outros condôminos, acabam por fazer a diferença, além de contar com apartamentos criados por construtoras que fazem plantas inteligentes e aconchegantes pensando na vida prática e corrida do dia-a-dia. 

Como saber se essa é a decisão ideal para mim?

É preciso levar em conta sua personalidade e o cotidiano que está acostumado a ter. Se você tem o hábito de fazer barulho e não se adapta bem a normas, como em viver em comunidade, para você não valerá a pena morar em condomínio.

No entanto, se você aceita bem os regulamentos, gosta de fazer amizades e usufruir dos benefícios de lazer, segurança e comodidade de um condomínio, provavelmente será uma ótima escolha estar nesse tipo de ambiente.

Inclusive, se você tem filhos, estude se essa mudança será boa para eles, e os ensine sobre as regras de viver em apartamento.

O ideal é ponderar sobre os prós e contras, assim como planejar sua mudança, seu estilo de vida, dentre outros.

Comunicar-se com a família e tirar dúvidas com pessoas que já moram em condomínio também pode ser uma boa ideia.

Aproveite para continuar em nosso blog e ler sobre como utilizar o FGTS para comprar seu apartamento!

Deixe uma resposta